01 jun2012

 

A impressão que se tem é que o publicitário Marco Brandão é um inquieto. Depois de alguns anos morando  fora do Brasil, ao regressar sentiu um certo pessimismo no ar e achou  que era deveria se engajar mais.  Não se deu por satisfeito em conclamar uma “revolução por internet”, dessas que a gente tanto vê: rebeldes da web que ladram suas insatisfações em posts nas mídias sociais e dão o assunto por encerrado.  Marco queria mais, queria botar a mão na massa.  E foi parar da curadoria do TEDx Rio, evento paralelo à Rio + 20 que ocupa o Forte de Copacabana nos dias 11 e 12 de junho. Realista, sabe que promessas, leis e proibições não têm resultado prático. Neste momento que o planeta urge por novas energias, novos modelos econômicos  e de trabalho, o que ele espera são soluções  - “ soluções que envolvam governos, a humanidade como um todo e que seja de uma forma mais holística. Como disse Einstein ‘Não há prova maior de insanidade que repetir os mesmos atos e esperar resultados diferentes!’”

 

Confira a conversa inspiradora que tivemos com  Marco entre um compromisso e outro do Tedx Rio +20.

 

1. OSC: Qual é o seu trabalho dentro da TEDx Rio+20?

Marco Brandão:Temos nossas “áreas” de responsabilidade, mas não há uma hierarquia, somos uma rede onde todos podem e participam de tudo. Se for para especificar algo, fico com a parte de administração e produção do evento, mas é difícil dizer isso pois como somos 3 organizadores e alguns poucos voluntários, todos fazem um pouco de tudo.

 

2. OSC: Como foi feita a curadoria dos palestrantes do Tedx Rio + 20, quais eram os requisitos?

Marco Brandão:Buscamos sempre pessoas que tenham boas histórias a compartilhar sejam elas conhecidas ou não. Para o TEDx Rio + 20 estamos em contato com a ONU, uma de nossas apoiadoras, que nos ajudou a encontrar, selecionar e alcançar pessoas com este perfil. Este ano buscamos quem falasse de alguma maneira sobre sustentabilidade, mas tentamos fugir um pouco do tradicional, porque é o estilo do TED e também para não ficar redundante com a Rio+20 em si. Focamos no lado mais humano desse tema e fugimos um pouco do técnico.

 

3. OSC: Qual a importância de uma iniciativa como essa para o  mundo, você acredita em ‘espalhar ideias’?

Marco Brandão:Quando cheguei de volta ao Brasil, depois de alguns anos morando fora, senti por aqui muito pessimismo e uma descrença grande de um futuro melhor.Quando o Marconi – amigo e sócio –  me apresentou o TED, vi que mostrando os  sonhos de alguns, projetos altruístas que se realizam, ícones mostrando que têm um lado normal/humano, poderia aproximar as pessoas e incentivar a vontade de fazer alguma diferença ao invés de esperar a vida passar . Se conseguirmos “contagiar” algumas pessoas e que elas “contaminem” outras, quem sabe causamos uma epidemia de otimismo e altruísmo? Assim com certeza construiremos um mundo melhor para todos.

 

4. OSC: O que você espera do TEDx Rio+20?

Marco Brandão: Do evento em si, espero que todos os participantes se entreguem e mergulhem nas experiências que serão contadas no palco, que conheçam novas pessoas, que compartilhem vivências, rompam as barreiras da timidez e até da insegurança e se abram a quem estiver do lado. Porque naquele espaço, naquele momento, todos estarão vibrando para um bem comum.

 

5. OSC: Quais são seus outros trabalhos?

Marco Brandão:Sou Designer Gráfico por formação, mas sempre trabalhei com publicidade. Hoje, estou buscando novos caminhos. Quero trabalhar com algo que me remunere, mas que de alguma maneira dê algum retorno para o mundo. Assim que achar o caminho, prometo compartilhar!

 

6. OSC: Qual a palestra que você está louco pra ver e por quê?

Marco Brandão:No ano passado, tive muitas surpresas, nomes que conhecia pouco e que subiram no palco e eram gigantes. Este ano não vou arriscar. Vou tentar aproveitar o máximo de todas.

(Julia Ryff – redação OSC)

 

 

 

OSC
OSC

Comentários

Deixe um Comentário