23 nov2012

Eram oito horas da noite de segunda-feira quando a fila começou a se formar na entrada do teatro do Centro Cultural João Nogueira, Imperator para os íntimos. Não demorou muito para a calçada ser tomada por fãs do estilo musical que embalou a terceira edição do NMB. As duas horas que antecederam a abertura dos portões contaram com muita expectativa e emoção do público e dos integrantes da Canto Cego e Pedras Pilotáveis, que passaram o último final de semana no estúdio Toca do Bandido se preparando para a grande festa.

Conforme a galera adentrava o salão, ruídos e gritos podiam ser ouvidos do backstage. No camarim um mix de risos, momentos de silêncio e de euforia: todos sabiam o que deveriam fazer, mas não tinham ideia do que estava por vir. “Cinco minutos” – avisou a produção – estava na hora de finalizarem o trabalho que teve início em agosto e que se consolidaria naquele momento.

Nosso mc, o famoso Paulinho, saiu de trás da cochia, tomou o microfone e iniciou a festa. As duas bandas entraram juntas no palco e foi a Canto Cego quem deu início aos trabalhos. Não demorou muito e a sensacional Roberta Ditz dominou todos que estavam assistindo. Logo depois, foi a vez do Pedras Pilotáveis que arrasou com a guitarra de Felipe Ramos, a batera de Rafael Rocha e o baixo de Jon Pires. Os grupos pareciam não acreditar no que estava acontecendo, o auge foi atingido quando as duas bandas tocaram juntas o cover de O Rappa “Me deixa” e finalizaram com “Bichos escrotos” do Titãs.

De volta ao camarim, a energia era contagiante, muito emocionados as bandas comemoraram, se abraçaram, trocaram sensações e muitas risadas. Até que o Detonautas apareceu para deixar tudo ainda mais acalorado. Veteranos e iniciantes dividindo o mesmo espaço em um clima de confraternização e alegria. E era a hora do último show da noite.

Quando o Detonautas Roque Clube entrou no palco do Imperator, a galera veio abaixo. Todos estavam muito a vontade e felizes por estarem ali, tanto que o vocalista Tico Santa Cruz nem se importou com a garotada subindo no palco para se jogar na multidão. Por diversas vezes repetiu que a noite não teria hora para acabar, o que gerava mais euforia no público que não se cansava de tanto rock and roll.

A noite não poderia ter sido melhor, bandas vencedoras e convidada comandaram a festa de encerramento do festival Nova Musica Brasileira em grande estilo e muita harmonia. E com todo o sucesso desse grande projeto da OSC, nós já estamos com saudade da agitação dessa super produção e nos preparando para arrasar na quarta edição que não deve demorar muito para acontecer. Fiquem ligados que lá vem som!

 

Nos vemos no próximo NMB 4!

 

OSC
OSC

Comentários

Deixe um Comentário